[Julio Cesar Lemes de Castro; J. C. L. Castro; Castro, Julio Cesar Lemes de; Castro, J. C. L.]

[Publicações]

CASTRO, J. C. L. Neoliberalismo bricoleur: o imaginário político de Marina Silva. Anais do IV Seminário Mídia, Política e Eleições, São Paulo (SP), 2017.

Resumo: Este trabalho propõe-se a investigar o imaginário político projetado por Marina Silva, assim como os impasses nele embutidos, tendo como foco sua campanha na eleição presidencial brasileira em 2014.
A intenção é mostrar como tal candidatura se insere no contexto ideológico do neoliberalismo, horizonte da política brasileira desde os anos 1990, mas corresponde ao mesmo tempo a um aggiornamento do imaginário neoliberal. Nesse sentido, são identificados e examinados os quatro principais ingredientes por ela acrescentados a esse imaginário: a ideia de sustentabilidade, a metáfora da rede, o consenso moral e o messianismo. Tais ingredientes ajustam-se à proposta de uma política econômica ortodoxa, que equivale à agenda convencional do neoliberalismo.
Do caráter original, mas também heteróclito, dessa combinação resulta algo como um neoliberalismo bricoleur. Tomados isoladamente, os diversos ingredientes utilizados para compor o imaginário político de Marina concorrem para a força potencial de sua candidatura, que experimenta um salto exponencial quando é lançada. Por outro lado, as tensões e incongruências que marcam a articulação desses ingredientes, expostas nas redes sociais e exploradas habilmente pelas campanhas adversárias, contribuem decisivamente para que a candidatura perca fôlego.
De forma mais geral, pretende-se demonstrar que a adesão total ou parcial ao neoliberalismo é um traço comum a forças políticas diversas, salientando seu grau de penetração na sociedade contemporânea, e sobretudo no Brasil. Considera-se também que as diferentes formas que assume tal adesão fornecem um critério de diferenciação entre essas forças, como é feito neste caso com Marina em relação a seus adversários. Além disso, este trabalho adota a premissa de que o neoliberalismo funciona como fator de unificação subjacente à combinação heteróclita de elementos que constitui o imaginário político de Marina.
Trata-se de um trabalho de reflexão teórica, ancorado em pesquisa bibliográfica. Na tradição do método hipotético-dedutivo, para dar conta do objeto analisado (o imaginário político de Marina), é utilizado um esquema (o neoliberalismo bricoleur) que desvela a articulação de diferentes variáveis (a agenda econômica, a ideia de sustentabilidade, a metáfora da rede, o consenso moral e o messianismo). E, para testar a validade desse esquema, utilizam-se sobretudo dados da campanha de 2014, extraídos do programa de governo, da propaganda eleitoral, dos debates e das pesquisas.

Palavras-chave: Marina Silva, neoliberalismo, imaginário político, campanha eleitoral, eleição 2014.

Voltar à página de publicações

[Home] [Apresentação] [Formação] [Publicações] [Participação em eventos] [Links] [Links]